Bem Vindo ao Meu Mundo Estranho... aqui você não vai encontrar nada que tenha que fazer sentido... pois esta é uma manifestação do meu consciente/inconsciente... id, ego e superego... das minhas alegrias, meus medos, incertezas, loucuras e travessuras... afinal... me disseram que a beleza esta no caos...

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Diário de Bordo - Tela em branco....

Diante de uma tela em branco,
Preparo minhas tintas.
Os tons são diversos,
Os sentimentos intensos.
Um silêncio em meio ao caos.
Uma tela em branco.
Um impulso.
Um desejo.
Uma tela em branco.
Uma oportunidade.
Um olhar,
Que conta muitas histórias.
Uma tela em branco,
Esperando ser preenchida,
Ser desvelada,
Ser tocada.
Uma tela em branco,
Esperando eu e você.

6 comentários:

Mélica disse...

Você descreveu exatamente o que se passa quando iniciamos um novo amor, uma nova história de vida!;) Lindo!!!!
Um ótimo dia pra vc! Beijos...

Girassol disse...

É maravilhoso quando estamos nessa fase da tela em branco. Todas as possibilidades do mundo em aberto, os pincéis e as cores à nossa frente, e a oportunidade de colorirmos a história com os tons do nosso amor, paixão, desejo, impulso... (ai ai, viajei aqui..).
Sem falar dessa imagem, né? Nem preciso dizer que amei. =)

Tem um player no final do post, onde dá para ouvir a música. É um dueto, Pedro Abrunhosa (cantor português), com Sandra de Sá.

Beijinhos.

Wolverine Logan disse...

Maravilhoso mundo estranho!

Marcelo disse...

...Para que ambos a preencham com cores leves e tranlúcidas.
Aquarela de sonhos realizáveis apenas á 4 mãos.
Como diz a Girassol, essa é mesmo uma fase maravilhosa de descobertas e mil possibilidades.
Amei...

Smack!!!

ki-colado disse...

Bonito sim D. Mila, e apaixonante. Digo-o como pintor. Entretanto, não há como colorir todas as histórias que sonhamos. Vem o tempo, e amadurecemos...

Talvez, seja quando decidiremos colorir o que se vive intensamente antes que o espetáculo da vida termine...

Enquanto isso, não acontece, lembrei-me de uma canção:


AQUARELA.

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva
E se faço chover, com dois riscos tenho um
guarda-chuva
Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do
papel
Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu
Vai voando, contornando a imensa curva
Norte e Sul
Vou com ela viajando Havaí, Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela branco navegando,
É tanto céu e mar num beijo azul
Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e
grená
Tudo em volta colorindo, com suas luzes a piscar

Basta imaginar e ele está partindo, sereno e lindo
E se a gente quiser ele vai pousar

Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida
Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida
De uma América a outra eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o
mundo
Um menino caminha e caminhando chega no muro
E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro
está
E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar
Não tem tempo nem piedade nem tem hora de chegar

Sem pedir licença muda nossa vida,
E depois convida a rir ou chorar
Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá

O fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
De uma aquarela que um dia enfim descolorirá

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
Que descolorirá
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Que descolorirá
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o
mundo
Que descolorirá

Juh disse...

Arrasou no Texto Mila!!

amei