Bem Vindo ao Meu Mundo Estranho... aqui você não vai encontrar nada que tenha que fazer sentido... pois esta é uma manifestação do meu consciente/inconsciente... id, ego e superego... das minhas alegrias, meus medos, incertezas, loucuras e travessuras... afinal... me disseram que a beleza esta no caos...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Contos - Carregando a mala...



Um dia comum. Como outro qualquer. Sem nada de diferente. Mais um dia na vida de Thereza que não teria nada pra se contar. Sua vida vinha se arrastando desde que Olavo sumira no vento, sem dar explicação. Seus amigos diziam que ele não valia todo aquele sofrimento. Que aquela depressão não lhe fazia bem. O que os outros sabiam de sua vida? Sempre era fácil dizer o que fazer e o que sentir quando não se vive uma situação. Diziam que ele nem tinha ficado tanto tempo assim, que nem era tão bom assim, que tinha morrido, que tinha matado. Ela sabia no fundo que não era nada disso. Já tinha pensado bastante em tudo para entender que aquela vida não pertencia a Olavo e que ela nunca quisera enxergar que tudo o que ele era, na verdade, não era. Só não conseguia ver mentira nos momentos em que estiveram realmente juntos, em que se amaram como se o mundo não existisse, como se tivessem encontrado o que sempre haviam procurado. Mas talvez isso fosse apenas mais uma peça pregada por seu coração, que ainda não conseguia acreditar no que se passava. Eram meses de tortura e solidão. E a vida continuava, como sempre. Quando descobrira que carregava um filho de Olavo no ventre fora o dia mais confuso de sua vida. Era como carregar concretamente toda sua mágoa. Era um pesadelo... era um sonho... Muito acalentado e que de certa forma, Olavo também nutrira. Sentia todo o peso do mundo em suas costas...

6 comentários:

Ivan disse...

Sei mais ou menos o que é isso.

p disse...

Hummm...
O que que vou falar?
...

Bjos

Anne disse...

Eitaaaaaaaaaa, que coisa!!! Por essa eu não esperava...um baby de Olavão? Tenho certeza que foi confuso demais pra ela isso...imagino a bagunça na cabecinha da Thereza...

E por onde anda Olavo? Que coisa...espero q eles ainda se encontrem...

E vc, mana? Bom saber que está melhor. Não some assim que me dá saudade...te amo, mto!

Beijos, fica com Deus!

LindaRê disse...

Seria aquela máxima que diz que "nada está tão ruim que não possa piorar"?

bjs

Clecia disse...

Ah! Quantos não sentem esse peso? Infelizmente a vida prega dessas peças. Relacionamentos começam e terminam. Pessoas sofrem. Sentem que a vida não tem mais graça, mas aos poucos a vida vai voltando ao normal. A vida continua.Infelizmente estes dias de aflição parecem intermináveis, mas passam. Bjos!

Mary Pimp! disse...

Olá!
Eu carregava era mesmo uma mala para ir de férias!
Férias, férias, férias!!!!!!!
Até breve...